Comboio para Budapeste (Dacia Maraini)

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Um livro muito bom. Hoje venho falar de um livro muito bom. Inicialmente a leitura não parecia fluir, tentar entender o porquê deste tipo de situação nem sempre é fácil ou sustém em si inúmeras e possíveis causas. Desde a nossa própria disposição, desconcentração, um dia mau, o que seja, no entanto, neste caso, essa dificuldade prendeu-se ao tema central, o Holocausto, a essa tragédia monumental que pelos piores motivos não carece apresentações pormenorizadas. Dispensa-as.
Todo o cenário do livro, explicando as viagens de Amara, no comboio, que mói e arrasta os pensamentos, são quase cinematográficas, tornando o livro num quase filme feito em casa.
Envolvendo a tarefa primária de Amara em redigir artigos para o seu jornal, leva consigo um conjunto de cartas, de um tempo já avançado, do seu amigo e amado Emanuele.
Há assim, num livro que retrata esse tempo amargo, uma história de infância perdida, uma história de amor, uma ilusão que pretende agarrar e iludi-la a si mesma.
Numa jornada sem tempo de olhar para trás, o leitor acompanha Amara nessa procura em que, pelo caminho, pode ir perdendo de tudo um pouco, mas a esperança de uma resposta, essa, mantém-se firme ao longo de toda a viagem.
 
Recomendo.
 
Boas leituras.
 
Ao som de: Lucia "Silence"

Sem comentários:

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan