sábado, 30 de agosto de 2014

Ver(-te)#2

Voltei ao Ver(-te), o espaço da metamorfose dos livros em fotografias.
Por muito que se tente, por muitas palavras inventadas, há sempre alguma coisa que fica por dizer, descoberta na rebeldia de uma imagem (aparentemente) indiferente.


«A Cor Púrpura»
 de Alice Walker, vejo(-te) assim:

 
 
"Consegues imaginá-los, Celie? Porque, para mim, era como se estivesse a ver gente negra pela primeira vez. E Celie, parece uma coisa fantástica. Porque o negro é tão negro que tolda os nossos olhos, e existe um brilho que parece vir da lua, a sério, por ser tão luminoso, mas a pele brilha também ao sol." (p.126)
 
 

Sem comentários: