domingo, 13 de agosto de 2017

sobre o amor


















O amor espera. É tensão que agita. Tumulto. Um fazer cair sem cair. Questões sem resposta. Um amo-te desconhecido. A beleza do ainda por dizer. Olhares que respondem para dentro. Um abismo de respostas ansiosas para se rebelarem. Agitadas. Contidas numa classe a quanto obrigas. Escondem beijos por dar. O impacto que terão. O sentido. O dia a seguir. O depois desse dia. O abraço que se perde no caminho. É a espera. Não estraga. Não estraga a beleza das coisas pequenas. É o tempo. Para crescer. Solidificar. Sem ventos fortes ou chuvas fora de tempo. Demolidoras e intensas. Devastadoras.
O amor tem sempre a classe de um relógio suíço. Certeiro na chegada. Como raízes pequenas, que crescem na medida dos dias. Crescem. E crescem. E crescem.

Sem comentários: