quinta-feira, 28 de julho de 2011

Herman (Lars Saabye Christensen)


Enquanto a folha da árvore percorre o meu esófago, nada muda.
O mundo continua assustador e veloz, como a queda de cada cabelo. Incompreensível como os pequenos cabelos que terminam em pontos de interrogação. Eles estão colados no meu caderno, mas para quê? Voltarão a ser o que eram? E eu? Voltarei a ser o mesmo?
A minha cabeça brilha, como a neve que vejo da janela.
O avô conta-me histórias, o pai sonha comigo a subir a grua.
Eu quero correr. Somente, correr.
E é isso, sim. Qual peruca! Qual misericórdia!
A diferença? Todos nós somos partículas de diferença, que juntas, como os ingredientes de um bolo, resultarão em algo similar...
Ninguém se poderá rir da minha diferença, ou da sua. Todos nós temos uma. Caro senhor, só por aí, seremos sempre iguais.

Sim, meu querido Panten, bebe mais uma cerveja.
Pai, subiremos na grua!
Agora, vou correr pelas ruas. Sem cabelo. Só porque sim.

Herman

Ao som de: Coldplay - Talk

Nota: Um livro sobre a infância e o peso de nos sentirmos diferentes. Recomendo vivamente.


Sem comentários: