segunda-feira, 2 de julho de 2012

Mulherzinhas (Louisa May Alcott)

Voltar às páginas que desenham as histórias tão doces das quatro irmãs Meg, Jo, Beth e Amy é sempre algo prazeroso, independentemente da idade. Acredito, inclusive, na capacidade desta leitura para recordar esses fantásticos momentos de infância, das pequenas grandes coisas que preenchiam os longos dias, o cheiro dos bolos quentes, as horas dos lanches, o convívio com os amigos, os pequeninos (mas tão grandes!) dissabores vividos na angústia de uma possível amizade desfeita, mas sem nunca ver fim à vista. Afinal, as amizades são feitas de um material que não se quebra, e as irmãs descobrem sempre isso no final de cada dia, no final de cada lição.
A importância de brincar. De sorrir. De rir. De saltar. De estar presente e de que, afinal, o ócio não é assim tão bom se não houver igual oportunidade para aprender e fazer novas coisas, todos os dias. E que organizadas que estas irmãs são!
Meg, a sonhadora e que começa por viver o seu primeiro amor. Jo, a corajosa, a que sonha ser rapaz, mas com coração de escritora e que vive igualmente uma das mais belas amizades com o atrevido e presunçoso Laurie. Beth, a protegida e sensível. E por fim, a tão querida e atrevida Amy, cuidando meticulosamente dos seus loiros caracóis.
Ao longo de um ano nada fácil, estas irmãs, numa união bela, vão aprendendo e crescendo, moldando o coração, com base no alicerce mais importante de todos: a família.

O famoso clássico da literatura juvenil. Eu recomendo-o a todos, em qualquer idade!

Sinopse www.wook.pt: Publicada em 1868, esta obra segue as vidas, os amores e as tribulações de quatros irmãs que crescem durante a Guerra Civil Americana. A história é baseada nas experiências de infância que a autora partilhou com as suas verdadeiras irmãs, Anna, May e Elzabeth. Aqui, as protagonistas são Jo, Meg, Beth e Amy.

1 comentário:

Leitora disse...

Quero tanto ler este livro mas não o tenho;)