quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Alice no País das Maravilhas (Lewis Carroll)


De um momento para o outro, uma porta abre-se e um coelho passa por nós, a correr. Uma porta do tamanho de um sapato provoca-nos a vontade de por lá entrar e descobrir aquele que se adivinha ser um belo jardim. Existem animais que falam, existem cartas, soldados, rainhas cujo maior castigo é o extremo de um pescoço cortado, existe o gato com um sorriso XXL e que desaparece por medidas, na medida do seu desejo. Há cogumelos que nos permitem crescer ou diminuir o nosso tamanho, de acordo com a necessidade do desafio que agora enfrentamos. Há lebres, há histórias, há quadras para recitar, jogos que parecem não querer acabar.

Entrem neste livro e sonhem um pouco. Polvilhem a alma com o melhor ingrediente ;)

 
Maravilhas a todos!

 

A ti, mano!
Às tardes de Sábado. E o bolo de chocolate J
Um tempo que soubemos fotografar com o coração.

Sem comentários: