terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Um lugar chamado aqui (Cecelia Ahern)

Apesar de já ter lido este livro há uns tempos (2009), o tema em si sempre me surpreendeu. Não raras vezes, dou comigo a pensar para onde irão as coisas que desaparecem das nossas vidas. Eis o tema deste livro. Um livro leve, sem grandes adornos literários, mas cuja temática me deixa a pensar, num sentido figurado.

Lembro-me de um casaco, branco e de lã, da minha Barbie e que misteriosamente desapareceu. Como eu adorava aquele casaco. Ainda pequena, perdia largas horas dos meus dias, envolvida numa busca determinada desse casaco minúsculo, mas bonito, e merecedor de ser encontrado. Mas nunca foi. Como esse casaco, muitas outras coisas vi desaparecerem, para um lugar desconhecido. Como aquele gancho branco com um laço lilás, e bolinhas brancas, perdido na praia. Até hoje.

Penso nisso. E penso também nas pessoas que desapareceram da minha vida, sem deixar rasto. Para um lugar não chamado aqui, mas ali, ali além, bem além, pois não as consigo ver em lado nenhum. E tenho a certeza que se gritar, terei meramente o eco da minha própria voz.

As coisas desaparecem. Causa-nos uma dor estranha, movida pela incerteza e pela raiva do eterno desconhecimento.
 

As pessoas desaparecem. Porquê?

Sobre essa questão, pondero, pondero, pondero…

 

E acabo eu por me perder, no lugar certo da incerteza.

 
 
 
 
 
 
www.wook.pt: Depois do bestseller internacional P.S. Eu Amo-te com 40.000 cópias vendidas só em Portugal que deu origem ao filme homónimo, a célebre Cecelia Ahern regressa com um conto ambicioso, absorvente e romântico sobre coisas e pessoas perdidas. Cecelia impôs-se no meio literário principalmente pelo seu talento e não somente pela ligação familiar que muito embora lhe tenha aberto algumas portas não se constituiu em si mesmo como a chave para o sucesso. Cecelia, filha do primeiro-ministro irlandês, confessa que gosta de escrever sobre acontecimentos que irão ajudar as pessoas e que «a infelicidade e a luta fazem as pessoas olhar à volta. Procurar e não desistir, dá-nos esperança». E é precisamente imbuídos de esperança que os protagonistas deste belo conto de fadas para adultos desenvolvem o seu percurso. Sandy, a protagonista, tornou-se obsessiva desde que uma colega de turma desapareceu há vinte anos. Desde então tenta encontrar pessoas que desaparecem, restituindo-lhes alguma esperança. Jack Rutle é uma dessas pessoas desesperadas e procura Sandy para ela o ajudar a encontrar o rasto do irmão. Porém, um dia é a própria Sally que desaparece…O quarto livro de uma autora que está a dar cartas na cena internacional.

1 comentário:

chuva disse...

Ao ler-(te), deixaste-me estranhamente sossegada. Talvez por te compreender nesse sentimento recíproco. E assim, fiquei a pensar nas minhas certezas e nesse lugar...e no tempo que ele ocupa.