segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

A Vida Peculiar de um Carteiro Solitário (Denis Thériault)

«A Vida Peculiar de um Carteiro Solitário» é um livro diferente, mas que encerra em si os temas mais básicos da vida. Diferente, então, pela abordagem, pelo conceito e pela quase irritabilidade que causa, inicialmente, pelo carteiro que se apodera das cartas que não são suas. O mais comum dos mortais ficará incrédulo pela curiosidade e falta de profissionalismo deste senhor. Até ao momento. Até entender onde vai a solidão de um desgraçado. Vai longe. Oh se vai. É precisamente aqui que este livro de Denis Thériault encerra em si os temas mais básicos da vida como a solidão e o amor, o desejo de sermos amados e o pânico palpável de sermos rejeitados. Esse pânico é sentido de forma viva neste pequeno livro, onde a poesia se torna o fio condutor de um diálogo de dois amantes, com um terceiro, que se apodera do lugar do segundo, sempre conduzidos pela arte invocada da poesia.
Roubando a correspondência alheia, Bilodo acaba por se apaixonar irremediavelmente por Ségolène que troca cartas com Grandpré. Após o acidente que rouba a vida a Grandpré, Bilodo, num ato de desespero apaixonado, assume-se como Grandpré, continuando a troca de cartas...sem pensar nas consequências dos seus próprios atos. Dizem que o amor tem destas coisas. Mas muitas outras tem que não se podem prever.
Um pequeno livro que permite refletir sobre temas como a vida, a moralidade, o sentido de pertença, desejo de amar e ser amado. Mais do que isso, este livro é uma nota considerável à desatenção dos dias, ao desajuste das expectativas perante os desejos e até onde tal nos pode levar. E sobretudo, onde poderíamos ter ido e sermos tão mais felizes.
Com um registo que muitas vezes é marcado por uma espécie de magia, surrealismo que seja, somos encaminhados a refletir nestas temáticas sob o prisma do encantamento indescritível das palavras. Da poesia.
 
Boas leituras!
 
Ao som de: Coldplay "Fix You"
 
 
www.wook.pt:  Esta é a história de um carteiro solitário que vive a sua vida através dos outros, lendo a correspondência alheia antes de a entregar aos destinatários. Inesperadamente, esse carteiro assume a existência de outro homem e aproxima-se da mulher por quem se apaixonara. E assim começa uma apaixonante história de amor, uma relação única, intensa e bela vivida apenas através das cartas e dos poemas que trocam entre si. Mas durante quanto tempo poderá Bilodo continuar a viver aquela mentira - e aquele amor? Num registo intimista e tocante, Thériault explora os temas do amor, da imaginação, do sonho e das dimensões inconscientes do espírito humano.
 

Sem comentários: