quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Na Campânula de Vidro

3 comentários:

Beatriz disse...

Denise :)
Lá está! Fosse eu de sublinhar livros e este (bem como muitos outros) estaria repleto de "arranhões". Todavia, não consigo fazer tal coisa, apesar de entender perfeitamente bem que um livro sublinhado foi um livro respirado. Fico-me por um caderninho onde escrevo frases de livros que me deixam a pensar e que acho belas.
Tenho que ler o que achaste do livro deste mês. Não o li nem o tenho. Ficarei atenta porque gosto bastante de Vergílio.
Óptimo resto de sábado e fantásticas leituras

Denise disse...

Beatriz!

É, não é? Também costumo recolher as frases que mais me dizem para um caderno :) Sylvia Plath está a corresponder, com este livro, aquelas expectativas que já ganhavam contornos na adolescência... (risos). Tão maravilhosamente bom!

Quanto a Vergílio Ferreira, é dos autores portugueses que mais estimo. Optei por este livro por ter sido o seu primeiro, uma novela. No final do mês, cá estará a opinião para comentarmos :)

(Passei o Sábado perdida no encantamento da exposição do Miró, que adoro perdidamente, na Serralves. Recomendo muito!) Beijinhos

Beatriz disse...

Um Sábado excelente, portanto.
Também aprecio Miró. Há 3 semanas passei uns dias em Amesterdão (ou com Rentes de Carvalho acha que se deve dizer: Amesterdam ;)) e tive a oportunidade de visitar os museus de Rembrandt e de Vermeer. As cores utilizadas não são tão esfuziantes quanto as de Miró mas há qualquer coisa na Pintura e na Escultura que me desarma.

Bom domingo e boa semana, Denise :)
Beijinhos.