quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Manual para mulheres de limpeza (Lucia Berlin)

Em primeiro lugar, deixem-me destacar o artigo de Isabel Lucas, do Público,  sobre a autora e o livro, que merece leitura dedicada.
Não poderia concordar mais com aquelas declarações de Lydia Davis quando fala em saber "usar o cérebro" e, acima de tudo", pormo-nos a sentir os "batimentos cardíacos".
 
Os contos de Lucia Berlin, através de uma suposta escrita despretensiosa, têm lições inequívocas a serem transmitidas. E a autora transmite essas lições com o chamado "estalo de luva branca": quando dão por ela, interiorizam uma série de ensinamentos que ferem, que pesam e que ficam. Quer se queira, quer não.
 
Leitura empática? Pois que seja. Talvez seja mesmo isso que Lucia nos faz estando, ao mesmo tempo, a lixar-se se o consegue ou não. Precisamente por essa ausência de intenção é que nos agarra.
 
Temáticas como o alcoolismo, que a própria viveu, mãe com o coração pesado mas ausente, relações problemáticas desta com o seu próprio pai, entre tantos outros temas repletos de gentes amarguradas e que, dentro, escondem segredos, enchem folhas e folhas para desvendar com puro deleite.

Foi assim que me senti ao ler os diversos contos de Lucia Berlin. Pensem numa jornada. Na vida que vai narrando dessa forma que vos falava acima: despretensiosamente mas com o coração inflamado na certeza de quem sabe o que diz. E como sabe.

Boas leituras.

2 comentários:

Beatriz disse...

Denise :)
Bom saber que gostaste.
Eu gostei muito, como já havia escrito antes.
Existem 2 contos que são muito parecidos e na altura estranhei. Depois reflecti e penso que, talvez tenha havido ciclos de luto, em que se revive e se tenta encontrar saídas para a dor.
Beijinhos.
Óptimas leituras.

Denise disse...

Olá Beatriz :)

Sim, gostei bastante. A escrita cativou-me.
Os temas estão muito ligados entre si. E acredito que sim, nota-se a amargura em cada conto, a saudade, a incapacidade de se voltar atrás e o quanto - nas entrelinhas - se gostaria de reverter determinadas coisas. Tudo isto passado dessa forma despretensiosa. Foi isso que me cativou. Creio que seja esse o motivo de tanto alarido em torno de Berlin.

Beijinho
Boas leituras