terça-feira, 25 de outubro de 2011

Gente Independente (Halldór Laxness)


A independência é o medo a esconder, ferozmente, o melhor coração do mundo.
Os independentes são os donos do melhor coração.
Paradoxo? Não...
É exactamente por isso que fogem.

E é aí que reside o meu amor. Pelo Bjartur.
E por ti, mocho.



Ao som de: Frou Frou "Hear Me Out"

Nota: Um dos melhores livros de sempre, que me tocou o coração. Recomendo-o com as duas mãos.

4 comentários:

chuva disse...

A tanta forma de independência compactada numa só definição: a luta. A luta por um lugar no mundo e no meio dos outros. O crescimento da identidade e dos ideais. Por que há quem passe pela vida, e há os que procuram um sentido nessa passagem. A independência é dependente dos outros, também. Mas, muito mais da vontade intrínseca. Aquela força interior, que nem todos conseguem desenvolver. O melhor coração, o mais foito, e o menos preguiçoso, será, sim, o independente... Mas, independente de amor, esse coração não será nunca o melhor. Qualquer que seja esse tipo de amor... A meu ver, o amor é sempre uma planta a crescer cá dentro para dar oxigénio, frutos, seiva aos que dela dependem. O amor não pode ser abafado pelo ego, senão, sem luz e trato, corre o risco de morrer. Eu gostava ser apenas dependente de mim própria, mas, eu sou o solo, os minerais... Preciso do sol e da chuva. E de poda, de vez enquando. (apeteceu-me dissertar, miga ;p )

chuva disse...

Meu Deus, um erro crasso logo no começo da frase! Cruzes! Desculpa, o meu cérebro parou (A -> Há). E depois, também não sei bem por que é que de repende virei a conversa da independência, para o amor. Talvez pela necessidade de desabafar: vejo tanta gente que se diz independente,e que só pensa no seu umbigo. Vejo na independência uma boa razão para amar. E para dar. O bom coração é esse: o que se disponibiliza para dar. Quando se é independente, subsiste-se e transborda-se (percebes o que quero dizer?), logo, há lugar para a partilha...(Ai, estou tão dissertadora ;p)

chuva disse...

Mais uma coisinha que me ocorreu: não é por acaso que as pessoas independentes são muito cobiçadas! ;p Já reparaste como impressionam e, por vezes, partem corações? Há até quem as considere "muita areia para a sua camioneta"!E às vezes, nem dão conta!

Denise disse...

És uma maluca. És uma maluca!
Mas uma maluca com razão ;)