domingo, 6 de outubro de 2013

Mil e Um Fantasmas (Alexandre Dumas)


Muito bom. Para quem gosta de fantasmas, e eu gosto.
Entre gostar, e acreditar, vai uma distância adorável.
Com uma estrutura narrativa muito interessante, o leitor é conduzido para uma sala em que o ambiente grita por histórias cuja natureza sobrenatural se torna o centro de tudo.
O silêncio, esse, assume a condição máxima para que o poder de cada história alcance o mais alto nível. Shhh...
 
 
Uma boa escolha para noites de Inverno, de preferência com uma boa tempestade lá fora.
 
Tenham medo. Muito medo.
 
 
 

www.wook.pt: Mil e Um Fantasmas é uma das raras obras de Dumas dedicada ao fantástico, ao terror e ao sobrenatural. Através de uma original estrutura narrativa, encaixa diversas histórias separadas. Durante um dia de caça em Fontenay-aux-Roses, Alexandre Dumas testemunha uma horrível tragédia: um homem que assassinara a mulher acaba de se entregar à polícia. Está aterrorizado: depois de decapitar a mulher com um sabre, a sua cabeça rolou na direcção dele e acusou-o. Nessa noite, Dumas é convidado pelo presidente da câmara para jantar. Devido aos acontecimentos do dia, cada um dos convivas relata uma história - cada uma mais aterradora que a anterior - acerca de acontecimentos inexplicáveis ou de natureza sobrenatural. Entre histórias de fantasmas, vampiros, espíritos vingativos e maldições eternas, uma suspeita prende-se à mente do leitor: os mortos podem caminhar entre os vivos…
 
 

 

Sem comentários: