sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

O Comboio dos Orfãos (Christina Baker Kline)


«O Comboio dos Órfãos» foi uma recomendação da minha mãe.
Um livro com um grande contexto histórico que retrata uma época pouco abordada sobre crianças órfãs, abandonadas e sem-abrigo, que eram transportadas em comboios, no passado dos Estados Unidos da América, entre os anos de 1854 e 1929.
 
É com base neste ponto da História, que a autora se debruça num enredo de enorme sensibilidade cujos dois espaços temporais do mesmo - 1929 e 2011 -  nos vão revelar duas personagens cujas histórias não só se cruzam, como se repetem no tempo.
 
Vivian foi a menina, agora mulher que após ter pertencido a esse enorme grupo de crianças sós e abandonadas, no comboio dos órfãos, vai relatando aquela que foi uma verdadeira prova de fogo para se manter viva num mar de pobreza, fome e precaridade que nenhuma criança de 9 anos deveria conhecer. Tão pouco, que a infância se perca como quem varre poeira do chão, tais são as provações que terá de passar até, enfim, chegar a estabilidade.
Como um gato bravo, Vivian nunca acreditará, ao longo da sua vida, na segurança plena, surgindo sempre o medo do abandono, como marca certeira de uma vida que fora pautada pelo desapontamento.
 
Também Molly, a jovem que o leitor terá oportunidade de conhecer, relata a sua tenra jornada que, ao longo dos seus 17 anos tem, à semelhança de Vivian, traços marcados de insegurança e abandono.
 
No cruzamento inesperado destas duas personagens, uma adolescente e uma idosa, nascerá uma amizade improvável através das partilhas de Vivian, cuja vida marcada por constantes desafios e piadas de um Deus omisso, as aproxima e mostra que, independentemente do trilho que escolhemos, há sempre a benesse das segundas oportunidades.
 
 
 
Recomendo.
Boas leituras!

4 comentários:

Su disse...

Olá, Denise,
Obrigada pela sugestão ;D vou ficar mais atenta a uma oportunidade para ler o livro.

beijinhos e boas leituras

Carlos Faria disse...

Nunca tinha ouvido falar nem do livro nem da escritora.

Denise disse...

Olá Su!
Vale a pena, a história é bonita e o tema é de considerar.

Olá Carlos,
Também não conhecia nem conheço mais obras da autora.
Esta pelo tema em questão é de considerar.

Boas leituras!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Estou como o Carlos é a primeira vez que ouvi falar desta escritora.
Um abraço e boa semana.