domingo, 6 de abril de 2014

Os Nós e os Laços (António Alçada Baptista)

Através de um grupo de amigos, este livro de António Alçada Baptista conduz-nos a uma geração que lida com a ruptura de uma herança ideológica, firme por uma Igreja de muitos costumes, de muitas regras, difíceis de largar, já o hábito feito de as seguir como forma de reger a própria forma de ser, a própria existência.
Cada um, com a sua singularidade, defende o seu dogma e vive nesse peso e medida não sem a fragilidade dos tempos de mudança, do drástico que os dias mostram e essa necessidade de dar de si a uma exigência sem retorno.
Cada um, com a sua filosofia, vive cada dia. O seu "eu" criado pela experiência dos dias, alimentado pela força de amar, pela descoberta do novo, pelo encontro com laços mais apertados, com abraços que escondem dúvidas que permanecem.
Cada um destes amigos, entre si, prende-se e desprende-se nos «nós e nos laços» que os unem, nessa nova percepção daquilo que já foi, daquilo que não volta, mas permanecerá.  


António Alçada Baptista. Um autor que nunca desilude.

 
 
 
Em www.wook.pt: Gonçalo, Teresa, Duarte, Pedro, Isabel e Inês pertencem a uma geração que vive a dramática ruptura com a herança ideológica pesada, onde um catolicismo tradicionalista arbitra as regras da existência. Estes protagonistas, embora com as mais diversas filosofias de vida, estão todos eles marcados por uma sociedade bem portuguesa e todos eles, na fragilidade das suas vidas, da sua solidão, se encontram estreitamente ligados às suas existências. Se «Os Nós e os Laços» é um romance de conflito de valores com o passado ainda presente, é também exploração de novos percursos que se entreabrem à experiência de cada um dos personagens: é a descoberta do corpo como lugar privilegiado de comunicação, são os jogos de existência em que bem e mal permutam constantemente de posição, e é sobretudo esse discreto mas instaurador movimento de pensar o mundo feminino.

Sem comentários: