sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

O Diário Oculto de Nora Rute (Mário Zambujal)


Prometi que em breve voltaria às obras de Mário Zambujal e não falhei.
Este «Diário Oculto de Nora Rute» reforça a boa impressão que me causou a escrita de Zambujal bem como aquele toque, pelos vistos característico, de comédia e crítica subtil aqui e ali. No ponto certo.
A história dá-nos a conhecer o diário de Nora, que como tal, lhe guarda os seus segredos, do mais obscuro ao mais cómico, do mais importante ao mais trivial, e poderíamos encontrar mais definições plausíveis até ao final da noite, pois aqui entre nós, imaginação fértil tem Nora Rute.
Nos anos 60 com um Portugal a viver sérias mudanças a vários níveis, destacando sobretudo os conhecidos movimentos estudantis da altura, acompanhamos esta jovem cheia de ansiedades, desejos e sonhos.
Acredito que a singularidade do livro se prende, sobretudo, pela época histórica escolhida pelo autor e pelas críticas apontadas, mais uma vez, com a sua subtileza característica que tão bem me estou a acostumar.
Nora Rute, com a sua minissaia, intrigas familiares, uma prima a que não se acostuma, amores e desamores, dá origem a um livro leve mas indispensável não fosse, pois claro, deste autor português por mim cada vez mais estimado.
 
Boas leituras.

Sem comentários: