Natural

terça-feira, 21 de abril de 2015

Ela não consegue conceber a ideia de o ter escolhido como o mais capaz para a apreciar e amar, tal como Darwin fez ao escolher os pássaros pelos bicos mais arredondados ou bicudos.
Ela também fez assim. Também o escolheu por sentir que seria o mais capaz no meio de uma seleção em nada natural.
Porque, mais tarde, sentiu que o amor seria o sentimento mais deturpado de todos. Menos natural de todos. Ela pensa nisto, e tão apaixonada pela Teoria de Darwin, desanima e adormece nesse pensamento.
Como o pode ter selecionado quando, mais tarde, se apercebe que lhe faltava o mais essencial.
 
Atitude.
 
Foi assim que ela descobriu a falta de naturalidade do amor e entristeceu. Pois sentiu essa falta de atitude. De gestos grandes, que não trazem instruções.
 

Mais tarde, porém, alegre no vazio que só a esperança dá, entendeu finalmente que o grande gesto humano, essa tal atitude percebida, corresponde ao saber voar do pássaro de Galápagos.
 
E é natural.
 
Afinal, tão natural.
 
 
Denise C. Rolo
 
 
             

2 comentários:

Isaura Pereira disse...

Olá Denise,

Estou sempre a conhecer novos autores :) Desconhecia por completo. Parece interessante. Vou já investigar.

Beijinhos e boas leituras

Denise disse...

Olá Isaura!

John Updike é brutal!
Vale a pena conhecer.

Beijinhos e boas leituras :)

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan