segunda-feira, 27 de março de 2017

O Universo nos teus Olhos (J. Niven)













O segundo livro de Jennifer Niven, autora conhecida pela obra «Fala-me de um dia perfeito», aborda uma temática muito comum na camada adolescente: o bullying e o sentimento constante de não se ser aceite entre os pares.
 
Integrado no género YA (Young Adult), «O Universo nos Teus Olhos» é a história de Libby, uma jovem outrora obesa, situação essa potenciada pela morte súbita da mãe, e de Jack, o miúdo popular da escola mas que, em segredo, lida com a prosopagnosia, uma doença neurológica que lhe impede o reconhecimento dos rostos. Esta doença acarreta uma série de limitações sociais: a cada dia, todas as pessoas que aparentemente conhece, deixa de as reconhecer visualmente, adotando um sistema específico, como o reconhecimento da sua voz, algumas particularidades dos seus gestos ou roupas para se integrar, minimamente, no seu contexto escolar e familiar.
 
Libby, apoiada no conforto do seu quarto, na leitura de Shirley Jackson (bom gosto!) ou na companhia de Supernatural (bom gosto!), percebe que tão não será suficiente para si pois dentro daquelas quatro paredes a vida parece encolher, decidindo que é hora de dar passos em frente. Jack, do outro lado da rua, vive igualmente os profundos questionamentos que a adolescência determina, ampliando os seus desejos e, sobretudo, firmando as suas convicções, em nada congruentes com um grupo de amigos que não só não reconhece visualmente como, também, não lhe reconhece as atitudes.
 
Fruto dessas fragilidades emocionais, convicções e um acidente caricato, a vidas dos dois adolescentes acabará por se cruzar.
Juntos vão perceber que independentemente das limitações, sejam elas de que ordem, é possível traçar objetivos e, diariamente, trabalhar neles. Digam lá o que disserem.
 
O mais recente livro de Jennifer Niven, com uma forte componente autobiográfica, expõe os dramas da adolescência e o sofrimento inerente que tantos adolescentes vivem em contexto escolar. Aborda, igualmente, a importância da resiliência e, sobretudo, a esperança para superar as adversidades porque, no final, há sempre alguém que nos consegue ver tal como somos.
 
 
 
 
Esta leitura contou com o apoio da Penguin Random House Grupo Editorial.
 
  

Sem comentários: