domingo, 22 de março de 2015

Onze Tipos de Solidão (Richard Yates)

 
«Onze Tipos de Solidão» é a minha derradeira certeza de que ler Richard Yates corresponde a um prazer para lá do esperado.
Onze pequenos contos que projetam a solidão por tipologias. Solidões divididas por formas de sentir, por situações, por momentos, por pessoas.
Solidões arrumadas em gavetas. Solidões que encaixam na perfeição com o músculo cardíaco de quem a sente, ritmada pelos passos, também tão certos, de quem todos os dias sai de casa na certeza da incerteza do que será.
A escrita de Richard Yates é belíssima.
Não passará de uma tentativa mostrar-vos a densidade que cada personagem invoca, e desespera em si mesma, em cada conto.
Se pensarmos na solidão como a casa escura e vazia numa Sexta-feira à noite, tiremos daí as nossas ideias, pois a solidão é tão mais do que isso e, oferecida sem vergonha, aparece onde menos se espera.
As personagens deste magnífico livro comprovam que a solidão é um tecido. Um tecido que se corta à medida. Que se molda. Que se adapta ao vazio de cada um.
Um tecido 100% elastano.
 
Magnífico!
 
Boas leituras.

2 comentários:

Carlos Faria disse...

Tenho ouvido falar de Yates, mas ainda nunca li... provavelmente uma falha literária minha a colmatar.

Denise disse...

Olá Carlos

Richard Yates está a ser a minha grande surpresa deste ano, até agora.
Aposta nele, acho que não te vais arrepender :)

Beijinhos e boas leituras