domingo, 9 de setembro de 2012

Amor e Amizade (Jane Austen)

Se dou comigo a questionar-me sobre as inúmeras grandezas do tempo, esqueço-me de mim, agora, e adormeço nos seus recantos mais confortáveis. Se essas suas capacidades são tão gigantescas, como em mim faço crer, então, é possível retroceder e encontrar outras pessoas, fragmentos de nós mesmos, e surpreender a triste alma - de uma surpresa tamanha - com quem fomos, e com quem somos, hoje.
 
Querida J.,
Como é possível amar tanto uma pessoa e essa mesma pessoa nem sequer pressentir a nossa presença, no seu mundo? Continuo crente de uma mudança nos afortunados olhos desse teu primo, quem sabe, um dia, e tudo poderá mudar nesta minha vida aflita, desde o dia em que, juntas, o pude ver pela primeira vez. Ainda te lembras desse dia, querida amiga? Já eu, nem me digno a colocar tal questão, pois todo o meu ser se alterou, e minha alma encolheu, desde esse dia!
Aguardo, com o desespero da saudade e da amizade que te tenho, as tuas novidades. O amor pelo M. cresce a cada dia, presumo?
Escreve-me!
 
Adieu,
D.C.
 
Outubro, 1999
 
 
 
A leitura deste primeiro livro da Jane Austen, escrito aos 15 anos,  repleto de amor e amizade sob forma de preciosas cartas, não me deixou alternativa a fazer-te uma enorme dedicatória.
 
Cartas: a melhor tradução para amor e amizade. Para todo o sempre.
 
 
 
A ti, Joana! :)
 
Ao som de: "Try, Try, Try" (The Smashing Pumpkins)
 
 
 
 
 
Sinopse www.wook.pt: O primeiro livro da célebre autora inglesa. Escrito quando Jane Austen tinha apenas 15 anos, Amor e Amizade é o retrato do universo que a rodeia, mais precisamente, da adolescência, dos amores e desamores.
Dividido em duas novelas epistolares e em cinco contos em forma de carta, um dos principais méritos desta obra é os paralelismos com a actualidade.
Jovens preocupadas exclusivamente com coisas de jovens (iguais às jovens de hoje), monstros de hipocrisia enquanto fazem de tudo para serem boas, amuam, acusam, perdoam, choram, escarnecem, desmaiam, gritam de prazer ou de ultraje, seduzem e rejeitam, são bondosas e cruéis, intuitivas e, contudo, obtusas.
Hoje em dia, usam os telemóveis para viverem a excitação do momento, há dois séculos escreviam cartas. Melhor do que ninguém, Jane Austen observou essa realidade e transformou-a no livro que marcou o início da sua carreia.

 
 

2 comentários:

Miguel Pestana disse...

olá e agradeço teres deixado comentário no meu blogue.

Li faz bem pouco tempo Amor e Amizade, mas da edição da editora Coisas de Ler.

Não consegui gostar do livro. A verdade é que dos 3 livros que li de Jane Austen, não gostei da escrita dela.

boas leituras

Leitora disse...

Não conhecia este livro de Jane Austen. Mais um para a minha lista;)