domingo, 23 de setembro de 2012

Ziguezague (Matthew Klein)



Quando penso na possibilidade, de acordo com o trabalho do Dr. Ho, em fazerem-se cópias de segurança das nossas mentes, das nossas personalidades, pondero sobre a quem gostaria de deixar a minha.
E a resposta mais simples seria: "... penso que a ninguém."
Creio que passamos a vida a fazer figuras de palhaço, sem nada contra este último. Mas passamos, sem dúvida.
Há uma necessidade estranha de heroísmo. Necessidade de timbrar a nossa presença pelo mundo fora, pelo mundo das pessoas que, supostamente, amamos perdidamente.
Enfim. Dou comigo a rir perdidamente. Sem palhaços no armário, sem efeitos secundários. A rir genuinamente dessas desgraças, desses sonhos humanos, incompreensíveis da parte que me toca, e que jamais tocará.
De acordo com essa "troca por troca", eu não daria as minhas cópias de segurança a ninguém. Sendo a construção do amor uma rígida e repetida "troca por troca", que se lixe lá isso...!


Para os egoístas.
 


Um livro a reter. Mais que não seja pela nota de egoísmo estampada em cada página. Pela avareza, pela decepção e sobretudo, pela ... surpresa.
 

Sinopse em www.wook.pt: Timothy van Bender, formado em Yale e dono de uma empresa em Palo Alto, tem uma vida mágica: os negócios correm bem, a mulher, Katherine, é bela e encantadora, e a secretária, Tricia, cumprimenta-o todas as manhãs com um sorriso galanteador. Subitamente, tudo muda. Um dia Timothy acorda e descobre que perdeu vinte e quatro milhões de dólares numa má aposta na bolsa. À beira da bancarrota, recebe uma chamada da mulher, dizendo-lhe adeus, antes de se atirar de um precipício. Nem a polícia local nem Timothy conseguem acreditar o sucedido. Começam os problemas. Enquanto a polícia investiga o empresário, este tenta descobrir os segredos da sua falecida mulher. Porém, quando Tricia lhe bate à porta, afirmando ser a sua mulher, revelando segredos que só Katherine podia saber, Timothy perde-se num labirinto sem saber em quem ou no que acreditar. Terá ele outra oportunidade para ser feliz ou estará enredado numa teia que o levará à morte?


Sem comentários: