terça-feira, 15 de dezembro de 2015

A Vida no Céu (José Eduardo Agualusa)



O próprio autor refere o divertido exercício de imaginação que o levou à criação desta peculiar «Vida no Céu».
Estou confusa, com um pé na terra e outro no céu, entre um aqui e acolá de opiniões diversas quanto à leitura de Agualusa. Foi bom, mas não me arrebatou. Não foi mau, mas não consigo dizer abertamente que foi soberbo. Então fico ali, no limiar entre o que é e o que não é.
O mais curioso é que este pequeno livro percorre precisamente essa dubiedade.
Durante toda a leitura senti-me quase a cair entre as redes que o autor defende que existem na vida do céu. Perdi o equilíbrio da minha própria imaginação muitas vezes, tamanha racionalidade que me impede de ver o mundo de outra forma. Pés de chumbo na terra e o céu lá longe, como tem de ser.
Foi deveras difícil imaginar uma vida possível nas nuvens sem, no entanto, encantar-me um pouco com essa possibilidade.
Leiam. Talvez percebam, ou não, a minha perplexidade de ver o mundo de pernas para o ar.
Um pequeno livro para sonhadores, para os que vivem com a cabeça nas nuvens e houve quem dissesse que as nuvens foram feitas, precisamente, para quem sonha.
 
Mais do que uma história para jovens que buscam verdades que roçam as saudades antigas dos velhos, este pequeno livro de Agualusa é também - parece-me a mim - um apontar de dedo ao homem que se arma em designer religioso, mudando vontades de um Deus maior em prol dos seus pequenos grandes caprichos.
 
As consequências serão, pois claro está, a saudade do que já foi.
A nostalgia eterna do que jamais se corrige com a introdução ao arrependimento.
 
 
Boas leituras!

2 comentários:

Isaura Pereira disse...

Olá Denise,
Nunca l nenhum livro do autor, mas sempre tive curiosidade.
Este parece interessante.
Beijinhos e boas leituras

Denise disse...

Olá Isaura!

Também eu andava curiosa com este autor. Não me conquistou a 100% mas o paradoxo no meio disto tudo é que a curiosidade mantém-se: vou continuar a desbravar a sua obra :)

Beijinhos e boas leituras!