sábado, 12 de novembro de 2011

O Homem Duplicado (José Saramago)

Existe um homem exactamente igual a ti.
Vou dizer-te isto.
Existe por aí um homem exactamente igual a ti. Tirar nem pôr. Por dentro e por fora.
Digo-te isto e ansiosamente te pergunto: o que farias?
Lutavas com mais força pela tua essência, ou continuarias impávido e sereno de rabo colado nesse sofá castanho?
Existe um homem exactamente igual a ti.
Se isso te der a força suficiente para sair desse torpor, dessa coisa estranha que nasce como cogumelos à volta do teu coração, vou gritar-te isto até perder a voz!







Sobre o livro: Tertuliano Máximo Afonso, professor de História no ensino secundário, «vive só e aborrece-se», «esteve casado e não se lembra do que o levou ao matrimónio, divorciou-se e agora não quer nem lembrar-se dos motivos por que se separou», à cadeira de História «vê-a ele desde há muito tempo como uma fadiga sem sentido e um começo sem fim».
Uma noite, em casa, ao rever um filme na televisão, «levantou-se da cadeira, ajoelhou-se diante do televisor, a cara tão perto do ecrã quanto lhe permitia a visão, Sou eu, disse, e outra vez sentiu que se lhe eriçavam os pelos do corpo»...
Depois desta inesperada descoberta, de um homem exactamente igual a si, Tertuliano Máximo Afonso, o que vive só e se aborrece, parte à descoberta desse outro homem. A empolgante história dessa busca, as surpreendentes circunstâncias do encontro, o seu dramático desfecho, constituem o corpo deste novo romance de José Saramago.
O Homem Duplicado é sem dúvida um dos romances mais originais e mais fortes do autor de Memorial do Convento.


Hoje o «Ler(-te)» celebra o 1º ano! :)
Comentem!

Sem comentários: