Ver e Ler

segunda-feira, 18 de junho de 2018


Vamos lá avivar o engenho.
 
Seja feliz,

A herança de Eszter (Sándor Márai)

domingo, 17 de junho de 2018


Sándor Márai é um dos maiores escritores da língua húngara, sendo celebremente conhecido com o seu «As velas ardem até ao fim».
 
Hoje falo-vos de «A herança de Eszter», um livro sobre o peso do passado, sobre os arrependimentos e, à semelhança do livro «As velas ardem até ao fim», sobre o peso do tempo e da espera em cada um dos personagens.
 
"Os amores sem esperança nunca terminam."
 
Esta pequena história falo-nos de Eszter, mulher solteira, a viver numa casa já consumida pelo tempo e acompanhada por Nunu, a governanta e amiga conselheira.
 
Eszter espera há mais de vinte anos por Lajos, o único amor da sua vida. O homem mais mentiroso do mundo, mas ainda assim, o amor da sua vida. Espera por ele como quem reclama, pela última vez, o seu lugar num amor distorcido pelo tempo e condicionado pelas vontades de terceiros.
 
Sándor Márai escreve como ninguém quando o assunto é a amargura de uma espera. O tempo que passa, pesado, pelo que não se fez, pelo que poderia ter sido, pela culpa que se alastra a tudo.
 
"(...) Não te ofendas com a analogia, pois tu poderias ter sido uma prótese para mim... Uma prótese moral. Espero não magoar-te - acrescentou, docemente, e inclinou-se para mim."
 
Será o amor de Lajos, verdadeiro? Poderá Eszter acreditar, afinal, numa história desviada por cartas que nunca chegaram ao seu destino?
 
Um amor profundo, a mágoa do passado, a raiva entre duas irmãs e, acima de tudo, o arrependimento que estagnou Eszter, fazem deste livro uma verdadeira relíquia. Sándor Márai faz-nos questionar, de uma forma amargurada, sobre oportunidades perdidas, o tempo que passa e não volta. E se voltar, os ventos que traz já não nos mostram o caminho que seria suposto.
 
Recomendo!
 
 
 
 
Seja feliz,

[Divulgação] Que sombra te acompanha (Tiago Gonçalves)

sexta-feira, 15 de junho de 2018


A convite do autor Tiago Gonçalves, natural do Porto,  li o seu terceiro romance, «Que sombra  te acompanha», um pequeno livro em que as sombras do passado, as decisões nem sempre ponderadas e o desenraizamento, são o motor desta história.
Alfredo, personagem solitária, de quem a vida pouco lhe retribui o empenho dos seus sonhos, decide abandonar a sua terra natal, uma aldeia, e partir à conquista das promessas, aparentemente fáceis, de uma cidade.
Será essa jornada de Alfredo através de uma cidade opaca, sem nada lhe dizer, sem o prender aos sonhos arquitetados que, anos mais tarde, o fará regressar onde nasceu. O encontro com um amigo da mesma idade despoletará em Alfredo uma catadupa de questões, a certeza de que os tempos vazios, promessas avulsas, jamais voltarão. Há um confronto com os seus próprios demónios, que nunca o largaram, estivesse ele onde estivesse.
O livro de Tiago Gonçalves mais do que o tema genérico da emigração, retrata um homem emigrante dentro de si mesmo, perdido pelas incertezas, esquecido pelos dias que passam velozes na rebelião de um sonho por construir.

Um pequeno livro, conciso, e que através de uma escrita acessível nos propõe uma questão basilar: seremos, todos nós, um pouco emigrantes para lá do lugar que nos acolhe?


 
 

Boas leituras,

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan