Instrumental (James Rhodes)

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

James Rhodes tem 38 anos e o livro com o título «Instrumental» é a sua biografia.
Poderá, o leitor, questionar-se sobre os motivos de um homem tão jovem decidir-se a escrever a sua própria história. E eis que chegamos ao ponto que me permite explicar-lhe: James Rhodes foi vítima de abuso sexual aos 6 anos, perpetrado pelo seu professor de educação física, durante mais de cinco anos.
 
"(...) a música, literalmente, salvou-me a vida (...)"
 
Mais do que um relato comovente, limpo e cru da sua vida, o autor oferece-nos a redenção através do poder da música. Foi com Bach que a oportunidade à música clássica se lhe surgiu diante dos olhos, ainda menino, numa espécie de antídoto ao mais cruel cenário de quem rouba, por quem dá cá aquela palha, a inocência de uma criança.
 
"Não se trata de abuso quando um homem de quarenta anos enfia à força a sua piça no cu de um menino de seis anos. Isso nem se aproxima de abuso. É uma violação agressiva. Isso redunda em múltiplas cirurgias, deixa cicatrizes (interiores e exteriores), tiques, perturbação obsessivo-compulsiva, depressão, tendências suicidas, automutilação grave, alcoolismo, vício de drogas, as maiores perturbações sexuais que se possam imaginar, confusão de género (...), confusão quanto à sexualidade, paranoia, desconfiança, mentira compulsiva, perturbações alimentares, perturbação de stress pós-traumático, transtorno de personalidade múltipla e assim sucessivamente."
 
Implacável, o autor discorre sobre aquilo que é o abuso mas, sobretudo, as consequências a todos os níveis da vida de uma pessoa.
 
O receio de comiseração ou os olhares de terceiros, muitas vezes traiçoeiros, fizeram-no ponderar escrever. No entanto, pesa a consciência de um certo dever em partilhar as suas amarguras, na tentativa de incitar novos comportamentos, um agitar de consciências que se traduza no olhar devido, atento e preventivo de situações do género.
 
James Rhodes escreve com um coração assolapado e abre-se perante o leitor nessa partilha dolorosa e muito íntima, sobre uma vida de provação e superação.
 
Ao longo da leitura, o leitor conhecerá James Rhodes enquanto criança, adolescente e, por fim, homem (des)feito. Todas as fases atribuladas da sua vida, todos os momentos, foram pautados pela música clássica.
Se esta é uma biografia de um homem vítima de abuso sexual, é também uma partilha de superação perante as adversidades mais cruéis, comprovando que se no coração ainda resta espaço para uma paixão, a vida ganha segundas e terceiras oportunidades.
 
São as paixões que nos movem. E as pessoas.
A música clássica ofereceu-lhe perspetivas diferentes das respostas que sempre ambicionou. As pessoas, traduzidas no seu filho e na mulher que viria a amar incondicionalmente, mostraram-lhe a capacidade do ponto final. E o parágrafo do que virá depois.
Que seja a esperança.
 
Recomendo sem reservas.
 
Esta leitura contou com o apoio:
 
 
 
 
 
Boas leituras, muitos livros.

1 comentário:

Isaura Pereira disse...

Parece um livro fantástico. E ainda por cima adoro histórias de vida!
Quero!
Beijinho e boas leituras

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan