domingo, 11 de novembro de 2012

"Não te mexas" (Margaret Mazzantini)



Este livro, apesar do sublinhado de "bestseller" (para mim, infeliz) não deixou de me impressionar muito. E bem. A escrita, apesar de simples, contém metáforas muito lindas, que encantam de vez enquando.
A história, essa, começa por um horror estranho e acaba numa ternura igualmente estranha. Possível? Quando se fala em amor, penso que nunca imaginamos uma história iniciar com uma violação. Mas é assim que acontece na história de Margaret Mazzantini.
O que me deixa a pensar mais sobre as várias questões de emoções, amores e desamores é o seguinte: sonhamos com a perfeição, com o amor encantado, onde nele tudo respira uma limpeza feita de sonho e quando se alcança, entramos num elevador sempre, sempre a subir.
Esqueçam lá isso.
O amor é um tudo inesperado. E por vezes, é exactamente o haver muitas gavetas arrumadas, essa limpeza feita de sonho, que nos empurra numa procura de lugares mais incapazes: e afinal, um lugar mais forte, o único e esquecido lugar capaz de nos fazer feliz.
Com todas as consequências que daí advêm.

Gostei. Recomendo.
Para os mais preguiçosos, vejam o filme. No entanto, vi o trailer e em nada me prendeu como o livro.
 
Ao som de: K's Choice "Believe"
 
 
www.wook.pt:Escrito na primeira pessoa, Não te Mexas é um pungente monólogo de um homem, um cirurgião, falando com a sua filha de quinze anos. Depois de um acidente de mota, ela é levada para o mesmo hospital onde o pai trabalha. Agora, numa sala adjacente ao bloco operatório, ele espera enquanto um amigo a opera ao cérebro. Ela está gravemente ferida e pode morrer. Enquanto espera, petrificado pelo terror e pela dor, ele começa um diálogo interior com a filha, revelando o seu segredo mais íntimo. Subitamente, o respeitado profissional, o tépido marido de uma brilhante e lindíssima jornalista, o distraído pai de uma adolescente como tantas outras, é forçado a por a nu, perante a filha e ele próprio, uma verdade há muito omitida. Há muitos anos, o cirurgião violou uma mulher, uma imigrante miserável que vivia numa das zonas mais degradadas da cidade. A partir deste episódio, desenvolve-se a mais estranha das histórias de amor, porque ele apaixona-se perdidamente por esta mulher pobre, nada atraente, sem educação, e passa a viver a sua "vida verdadeira" com ela. Até que um trágico acontecimento vem mudar tudo.


Sem comentários: