sábado, 2 de março de 2013

Anos Felizes (Louisa May Alcott)


Voltar às páginas de Louisa May Alcott e a estes “Anos Felizes” permitem voltar a esse fantástico tempo de infância, onde os dias parecem ser intermináveis, repletos das mais excitantes aventuras, e em que os sonhos são feitos de uma matéria resistente, persistente a qualquer adversidade.
De leitura extremamente acessível, sublinho mais do que isso, a beleza que se apoderou deste clássico e que ainda hoje persiste: a resiliência das jovens irmãs, a importância atribuída aos valores familiares, as desavenças típicas e rapidamente solucionadas e, sobretudo, a enorme capacidade de sonhar mesmo que o solo seja pouco fértil ao seu crescimento.
Indicado para leitores de idades mais "pequeninas", não deixo de acreditar que a “magia” que me envolveu naquela época, ainda persiste em “Mulhezinhas” e nestas páginas que continuam a registar as vidas das quatro irmãs em “Anos Felizes”.
Porque acredito que não há idade na literatura, recomendo estes livros em qualquer fase da vida. Desde que o espírito de cada um para lá os conduza.

 
 


Sem comentários: