A mulher mais bonita da cidade (Charles Bukowski)

domingo, 31 de maio de 2015

 
 
Charles Bukowski não carece de grandes apresentações.
Neste livro de contos, voltamos a encontrar as aventuras mais inesperadas, cómicas e trágicas, tudo ao mesmo tempo, através de um autor cuja vida foi marcada pelos excessos.
 
"Bukowski é um daqueles escritores que descobrimos com entusiasmo transgressivo"
 
(The New Yorker)

Um pouco por aí, sim.
Há medida que o leitor vai lendo, eis que surge a ideia fatídica de transgressão, tal é o ponto máximo de loucura deste autor.
Por vezes cómico, por outras, nem tanto.
Desde mulheres pouco amadas, a empregos igualmente pouco amados, este livro retrata um conjunto de histórias onde pessoas comuns se tentam encontrar num mundo pouco acolhedor. O álcool, o sexo e a droga resumem-se a escapes próprios de quem se cansa de procurar, de quem pouco quer saber.
 
Bukowski era assim.
Um registo fiel de "não há mais nada a fazer".
Um dia de cada vez, e espera para ver.
 

4 comentários:

redonda disse...

Parece ser um grande livro.

Denise disse...

É interessante, sim. Tendo sempre em conta os excessos característicos de Bukowski ;)

Kel disse...

Olá Denise,

Nunca li nada de Bukowski, mas já tinha visto este livro, e tinha me despertado o interesse (nem sei muito bem porquê)...
Agora com a tua opinião ainda fiquei com mais vontade de o ler :p
Beijinhos e boas leituras

Denise disse...

Olá Kel!

Vais confrontar-te com uma escrita diferente, sem pudores ou qualquer constrangimento. E é precisamente esse exagero e qualquer falta de bom senso que caracteriza tão bem o boémio Bukowski ;)

Beijinhos e boas leituras

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan