domingo, 14 de novembro de 2010

A Pérola (John Steinbeck)

Não ter.
Mais rico do que ter.
O «não ter» permite sonhar e encher o coração com o cheiro do mar. Não ter faz correr, faz gritar, faz. Não ter faz, suavemente, mexer o coração.
Não ter é o caminho da esperança, onde te agarras ao boneco de infância e amealhas cada gota de inocência que te resta.
Caminhas com a alma plena, nesse caminho de «não ter», nada temes e tudo procuras, com todo o amor que semeaste em ti mesmo. Amadurecido para alguém. Brilhante, pronto a ser colhido.
E agora que tens, paradoxalmente, tudo se esvaziou pelo medo. Um vazio que enche, e sufoca a garganta com delicada luva branca.
O medo casou com a ganância, nasceu o receio. Foges de tudo que, de coração cheio, procuraste nesse «não ter», agora tão rico…
Volta atrás. Veste quem eras.
A simplicidade do «não ter» é tão magicamente bela: quebra o medo de perder, a essência pura para quem sabe amar…
A vida pode ser uma pérola.
Liberta-a, será tua, e serás tu, de coração pleno.



Dedicado às pessoas que amam mal.
Ao som de: Incubus “I miss you”

Sem comentários: