Chama Devoradora (John Steinbeck)

domingo, 2 de dezembro de 2012

Até onde poderá ir a aceitação de uma mentira?
Poderemos nós aceitar uma mentira por livre vontade? Por vontade do coração? Sim? Pelo coração? Por esse aí que dizem ser o sentimento mais corajoso, o amor, que leva e traz tempestades, que aterroriza, que suaviza, que amendronta, mas protege. Sabe-se lá que mais! Mas que tudo faz... por algo. Sim?
Que tudo faz.
A aceitação de uma mentira, cortante, dilacerante, mas tudo faz. Essa chama devoradora tudo faz e tudo transforma.
Perspectivas. Meras perspectivas. Porque tudo faz. Sim?
Até onde poderá ir a aceitação de uma mentira?
Até onde ele quiser. Até onde ele suportar.
 
 
 
 
 
Voltei ao meu amor literário. Ao meu autor de eleição e, sem surpresa, recomendo com ambas as mãos. Um livro pequeno, capaz de semear as mais profundas dúvidas no espírito.
Quem nunca leu Steinbeck, não pode dormir sossegado.
 
Ao som de: Michael Nyman


4 comentários:

chuva disse...

acho que vou ter pesadelos...dos maus. pq abandonei um steinbeck a meio. nao se perdoa. é castigo.

Denise disse...

LOLOLOLOL!
Malandra! Não se faz, não. É imperdoável.

Tiago M. Franco disse...

Adorei O Milagre de São Francisco.

Cabeça de Vento disse...

Boas.
Li este livro há 3 dias e confesso não ter compreendido o seu final.
Foi feliz? Juro que não compreendi o último acto. Alguém explica?

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan