quarta-feira, 29 de maio de 2013

"A Noite das Mulheres Cantoras" (Lídia Jorge)


Uma história de amor. Quem não tem? Ora. Ora. Quem não tem? Mais não é o que se fala por aqui, hoje. Coisas deste género, essas, de que se falam hoje. Histórias de amor, simples. Porque são histórias de amor, e assim, se derretem e inflamam na memória de quem as invoca tão facilmente, tão rapidamente, como quem despe ou veste um casaco. Como quem usa aquele perfume, que também invoca. Essa história de amor. Com 21 anos de trama, ou mais, ou menos. O que seja!
É nessa memória que me vou perdendo e tentando resgatar um tempo em que, jovem, sonhei alto e perdi a verdadeira percepção do mundo. Onde fama, brilho, corpos coordenados e pesados em sintonia, me levaram a inocência de que, nessa altura, era toda eu feita.
 
Um livro sobre memórias de tempos passados de um grupo de mulheres que partilham o sonho da fama e tropeçam em algo mais. Um livro em que a memória se torna o sofá confortável, apaziguador de uma realidade menos feliz, menos calma, mas mais compreensível com o passar dos anos.
 
Interessante.
 
 
www.wook.pt: Há uma pergunta que percorre este romance de Lídia Jorge, da primeira à última página: Quantas vítimas se deixa pelo caminho para se perseguir um objectivo? A acção do romance decorre no final dos anos 80 do século XX e invoca um tema de inesperada audácia - o da força da idolatria e a construção do êxito - visto a partir do interior de um grupo, narrado 21 anos mais tarde, na forma de um monólogo. Como é habitual na obra da autora, a questão social é relevante - a força do todo e a aniquilação do indivíduo perante o colectivo são temas presentes neste livro. Mas aqui, tratando-se de um grupo fechado e dominado pela música, a parábola social submerge perante a descrição de um ambiente de grande envolvimento humano e de densidade poética.
Servido por uma narrativa ao mesmo tempo rude e mágica, A Noite das Mulheres Cantoras propõe a quem o lê a história de seis figuras que passam a viver para sempre no nosso imaginário.
A história de amor comovente que une as duas personagens principais, Solange de Matos e João de Lucena, é, por certo, um daqueles episódios que iluminam a realidade e tornam indispensáveis a grande literatura sobre a vida de hoje, com os ingredientes próprios da cultura dos nossos dias.
 

3 comentários:

Numa de Letra disse...



Foi a minha estreia na leitura de Lídia Jorge e gostei:



http://numadeletra.com/a-noite-das-mulheres-cantoras-de-lidia-75217

Numa de Letra disse...



Foi a minha estreia na leitura de Lídia Jorge e gostei:



http://numadeletra.com/a-noite-das-mulheres-cantoras-de-lidia-75217

Denise disse...

Olá!
Também foi a minha estreia com a autora. Há mais livros na estante p/ conhecer mas ainda estão a aguardar :)
Vale muito a pena, gostei muito desse.

Boas leituras!