Gente Singular (Manuel Teixeira Gomes)

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Fui apanhada de surpresa com Manuel Teixeira Gomes. Em primeiro lugar, não sabia bem ao certo do que esperar deste pequeno livro que, no momento da compra, foi mais o impulso do que a ponderação a reinar. Mais tarde é que descobri que se tratava de uma pequena coletânea de novelas.
Não posso dizer que este tenha sido o meu desafio do «Ler(-te) em Português» mais feliz, porque não foi. Estamos perante um livro pequeno, repleto de personagens singulares mas penso que a escrita de Manuel Teixeira Gomes não me conquistou, pelo menos, para já.
Assim, nesta amálgama de pequenas novelas, o leitor deparar-se-á com um conjunto de personagens, quiçá, atormentadas por elas mesmas, repletas de uma - considero talvez característica de escrita do autor - excentricidade notória e intrínseca, conduzindo à natural curiosidade do seu desfecho.
Pessoalmente foi a personagem de D. Joaquina D'Aljezur (mas que não é lá, tão longe!) que mais me cativou, logo das primeiras que surgirá neste monopólio de estórias repletas de gentes (muito) singulares.
 
Numa próxima, quem sabe, voltarei aos escritos de Manuel Teixeira Gomes com curiosidade redobrada.
Alguém por aí que conheça melhor as obras do autor?
 
 
 
 
Uma nova fase concluída deste meu desafio pessoal.
Mais informações, aqui
Surpresas em Maio, que não tarda a chegar.
 
Boas leituras!

6 comentários:

Carlos Faria disse...

Pois conhecia o nome dele como político, Presidente da República Portuguesa que se demitiu no período conturbado que antecedeu a ditadura para se dedicar à escrita (uma desculpa original) e durante a ditadura exilou-se na Argélia, mesmo sendo escritor não consta da lista dos maiores génios da literatura nacional

Carlos Faria disse...

Não recebeu o meu comentário sobre este autor onde referi que ele era mais famoso como Presidente da República do que como escritor?

Denise disse...

Olá Carlos! :)

Sim, recebi e publiquei assim que vi. Não lhe aparece?
De facto, conheço muito pouco dele enquanto autor. Da política fui lendo e fui pesquisando, terei de o fazer mais enquanto escritor porque deste livro em especial, não me cativou muito...

Beatriz disse...

Tal como O Carlos, só o "conhecia" pela política. Lembro-me de ter lido algures.
Como escritor, desconheço totalmente.
Melhor sorte no próximo mês. O que não faltam são clássicos portugueses maravilhosos.
(Mas a capa é muito bonita)

Denise disse...

Olá Beatriz,

O que me interessou na altura foi a ligação do autor com a política, pensei que a obra pudesse estar relacionada de alguma maneira. O certo é que ainda não me conquistou mas voltarei certamente às suas obras.
Ah! O próximo mês trará uma surpresa, não é um clássico mas não consigo deixar de o integrar no desafio. Vamos ver :)

Beijinhos e muitas leituras!

Carlos Faria disse...

Fico a aguardar a surpresa. Não me aparecia de facto, agora vejo-o mas estou noutro computador.

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan