O meu amante de domingo (Alexandra Lucas Coelho)

domingo, 20 de novembro de 2016






Amo-te tanto que tenho de te partir o focinho.
Quem é que na vida não foi acometido pela paixoneta que traz com ela, em saldos de 90%, tendências altamente assassinas?
Juntem a isso a traição, nas suas mais variadas formas, e temos aqui um amante de domingo em muito maus lençóis.
 
Esta é a história simples de uma mulher, apaixonada (ela diz que não) por um homem mais novo que, após descobrir as suas intenções distorcidas para com ela, decide que a sua vida só retomará o seu sentido e a ordem natural, após matar o filho da puta.
 
A escrita de Alexandra Lucas Coelho é absurdamente espetacular. É direta, incisiva e os palavrões, altamente terapêuticos, são a cereja em cima de um bolo que desde logo cresceu torto. Muito bom!
 
Pensamos, com este livro despido de etiqueta, no quanto o amor comanda a nossa vida. Mas neste caso, pensamos mais ainda em como a sua falta nos comanda e ativa as entranhas. A fúria. O desejo distorcido de um apelo desesperado por atenção, por redenção.
 
Não te vou matar porque não me amaste.
Vou matar-te porque me amaste mal.
 
O que ativa essa vontade tão legítima de matar passa, precisamente, por aí. Se é para amar mal, nem te dignes a aparecer.
Tenho a certeza que foi este o pensamento de uma mulher de cinquenta anos, sem grande paciência, com pouco abono de tempo e que, em si, guardou esperanças que nunca ousou, sequer, reconhecer.
 
Pela frontalidade, pela estreiteza das palavras, pelos palavrões bem colocados, pelo tema e pela personagem inesquecível, recomendo este livro com as duas mãos.
 
 
Muito, muito, muito bom!
Boas leituras.

2 comentários:

Isaura Pereira disse...

Olá Denise,
Quero muito ler algo desta autora.
Já vai para lista :)
Beijinhos e boas leituras

Denise disse...

Olá Isaura :)

Vale tanto a pena!
Espero que gostes.
Beijinhos e muitas leituras

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan