sábado, 4 de dezembro de 2010

Metamorfose (Franz Kafka)

Entra no meu quarto. Hoje afastei todas as mobílias, estou a crescer em mim, dentro e fora. Entra e dança comigo, e toca-me. Em cada ponto. Em cada ponto igual ao teu. Só porque sim. Só porque queres.
Os nossos corpos transformam-se naquilo que tanto os assusta.
Lá fora, os nossos amigos rastejam pela janela e fazem-nos companhia. A noite é nossa e sabemos que podemos brilhar, como estrelas, num mundo que nos pertence por lei.
Os outros quase partem a porta, deixámos de ser o esperado. Somos agora meros insectos.
Arrombamos a porta, porque somos muitos, e não precisamos de sair pela fresta, continuamos a dançar por esse mundo fora, tal como somos.
E não nos podem pisar. Somos grandes. Dignos de respeito.


Dedicado à homossexualidade.
Aos muitos Tyler Clementi, com bombas-relógio presas no estômago.


Ao som de: Kesha "We R Who We R"

Sem comentários: