domingo, 5 de dezembro de 2010

A Vida Nova (Orhan Pamuk)


As palavras dizem tudo e não dizem nada. Tenho um saco, cheio delas, só para ti, mas nenhuma delas te leva o meu olhar quando não estás.
Continuo a entrar em cada autocarro que vejo.
As estradas são todas iguais, os caminhos são contornados pelo desespero da espera e pela esperança que estejas lá, naquele lugar de sempre. Mas nunca estás.
Sinto, perdido no ar, o som do teu riso, o toque das tuas mãos, os longos cabelos perdidos no meu ombro, a ausência das palavras que disse tudo. O teu vestido azul.
Solto as palavras pela estrada fora.
Não preciso delas. Na certeza de que preciso de ti, entro no último autocarro.



“Conta-me uma história, Pew.
Que tipo de história, pequena?
Uma história com um final feliz.
Não existe tal coisa no mundo inteiro.
Um final feliz?
Um final.”
A Menina do Farol (Jeanette Winterson)

Ao som de: Switchfoot “You”

1 comentário:

chuva disse...

Há minutos li a sinopse deste livro. Um dos livros mais adquiridos nos últimos dias.“Um dia li um livro e toda a minha vida mudou”, do turco Orhan.
"O Amor é a necessidade de abraçar com muita força alguém e de querer estar sempre do seu lado. É o desejo de esquecer o mundo exterior quando se abraça esse alguém. È a necessidade de descobrir um refugio seguro para a alma.”